Você conhece os principais tipos de investimentos disponíveis no mercado? Confira como funcionam alguns dos principais investimentos:

Poupança: É a aplicação mais popular, e considerada um investimento de baixo risco e com rendimento, em geral, um pouco acima da inflação. Ela conta uma sólida garantia do mercado, que é o Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que garante aplicações de até R$ 250 mil, mesmo se o banco falir.
Fundos de investimentos: Ele funciona como um condomínio que reúne recursos financeiros de um grupo de investidores, chamados de cotistas, e realizam operações no mercado financeiro com o objetivo de remunerar o dinheiro do grupo. Os recursos são administrados por uma gestora financeira especializada, responsável por realizar as aplicações no mercado, buscando obter a maior rentabilidade possível, conforme a política de investimento do Fundo. Os investimentos são direcionados para papéis de menor risco (como títulos do governo federal), ou para outros de maior risco (como ações, títulos cambiais etc.). Antes de investir, você deve escolher o fundo mais adequado ao seu perfil.
Tesouro Selic: Ele é considerado mais seguro do que os títulos emitidos por bancos e a poupança, já que o risco de crédito do Tesouro Selic está ligado ao risco de quebra do governo, que é inferior ao dos bancos. Ainda assim, alguns títulos emitidos por bancos contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos – FGC.
Certificado de Depósito Bancário (CDB): Ao comprar um CDB, o investidor empresta dinheiro ao banco e é remunerado por isso, enquanto o banco utiliza os recursos captados para emprestá-los a outros clientes. Assim, o banco pega o seu dinheiro em uma ponta e empresta na outra, pagando uma taxa menor para captar do que aquela cobrada para emprestar, garantindo seu lucro.
Letra de Crédito do Agronegócio (LCA): A LCA é o título emitido pelos bancos para financiar participantes da cadeia do agronegócio. Sua principal vantagem é a isenção de IR, benefício concedido pelo governo como forma de incentivar o crédito ao setor. As LCAs também contam com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos – FGC, assim possuem o mesmo risco de crédito que a poupança, que também é protegida pela entidade.
Letra de Crédito Imobiliário (LCI): Muito semelhante à LCA, a LCI também conta com isenção de IR e é o título emitido pelos bancos para obtenção de recursos destinados a financiamentos do setor imobiliário. Sua desvantagem pode ser o aporte inicial elevado e o prazo mais longo.
Letras de Câmbio: Bem parecidas com os CDBs, as LCIs e LCAs, as Letras de Câmbio também são títulos que instituições financeiras emitem para se capitalizar. A principal diferença é que as emissoras das Letras de Câmbio são financeiras (sociedades de crédito, financiamento e investimento), não bancos.

Fontes: www.tesouro.fazenda.gov.br e www.meubolsofeliz.com.br

Poupança: É a aplicação mais popular, e considerada um investimento de baixo risco e com rendimento, em geral, um pouco acima da inflação. Ela conta uma sólida garantia do mercado, que é o Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que garante aplicações de até R$ 250 mil, mesmo se o banco falir.

Fundos de investimentos: Ele funciona como um condomínio que reúne recursos financeiros de um grupo de investidores, chamados de cotistas, e realizam operações no mercado financeiro com o objetivo de remunerar o dinheiro do grupo. Os recursos são administrados por uma gestora financeira especializada, responsável por realizar as aplicações no mercado, buscando obter a maior rentabilidade possível, conforme a política de investimento do Fundo. Os investimentos são direcionados para papéis de menor risco (como títulos do governo federal), ou para outros de maior risco (como ações, títulos cambiais etc.). Antes de investir, você deve escolher o fundo mais adequado ao seu perfil.

Tesouro Selic: Ele é considerado mais seguro do que os títulos emitidos por bancos e a poupança, já que o risco de crédito do Tesouro Selic está ligado ao risco de quebra do governo, que é inferior ao dos bancos. Ainda assim, alguns títulos emitidos por bancos contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos – FGC.

Certificado de Depósito Bancário (CDB): Ao comprar um CDB, o investidor empresta dinheiro ao banco e é remunerado por isso, enquanto o banco utiliza os recursos captados para emprestá-los a outros clientes. Assim, o banco pega o seu dinheiro em uma ponta e empresta na outra, pagando uma taxa menor para captar do que aquela cobrada para emprestar, garantindo seu lucro.

Letra de Crédito do Agronegócio (LCA): A LCA é o título emitido pelos bancos para financiar participantes da cadeia do agronegócio. Sua principal vantagem é a isenção de IR, benefício concedido pelo governo como forma de incentivar o crédito ao setor. As LCAs também contam com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos – FGC, assim possuem o mesmo risco de crédito que a poupança, que também é protegida pela entidade.

Letra de Crédito Imobiliário (LCI): Muito semelhante à LCA, a LCI também conta com isenção de IR e é o título emitido pelos bancos para obtenção de recursos destinados a financiamentos do setor imobiliário. Sua desvantagem pode ser o aporte inicial elevado e o prazo mais longo.

Letras de Câmbio: Bem parecidas com os CDBs, as LCIs e LCAs, as Letras de Câmbio também são títulos que instituições financeiras emitem para se capitalizar. A principal diferença é que as emissoras das Letras de Câmbio são financeiras (sociedades de crédito, financiamento e investimento), não bancos.

Fontes: www.tesouro.fazenda.gov.br www.meubolsofeliz.com.br