Fazer um bom investimento e ganhar dinheiro em médio e longo prazo é o sonho de muita gente. Com algumas dicas, é possível começar um investimento de maneira segura.  Confira:

1. Defina seus objetivos
Escreva todas as coisas que você deseja conquistar na sua vida. Primeiro pense no horizonte de um ano, depois de cinco anos e vá aumentando até chegar à sua aposentadoria.  Depois de fazer esta lista você terá claro quais são seus objetivos.
2. O que são investimentos em renda fixa e renda variável?
Uma dúvida comum dos investidores iniciantes é diferença entre a renda fixa e a renda variável. Os investimentos costumam ser divididos nesses dois grandes grupos. Os de renda fixa são aqueles cuja remuneração ou sua forma de cálculo podem ser previamente definidas na hora da aplicação. Entre eles estão a caderneta de poupança, os fundos DI e os CDBs.

Por não estarem tão sujeitas às oscilações do mercado e o investidor saber sua rentabilidade, essas opções são menos arriscadas. No entanto, isso não anula completamente a possibilidade de perdas. Os prejuízos podem aparecer se o emissor do título não cumprir com sua obrigação ou se, ao final da aplicação, ela se mostrar menos rentável do que outros investimentos de caráter semelhante.Já nas aplicações de renda variável, o investidor não tem como saber qual será a rentabilidade que poderá obter. Encaixam-se nessa categoria os investimentos em ações. Os preços dos ativos sofrem variações a todo momento, sendo redefinidos por eventos que afetam as empresas emissoras, a economia e o mercado financeiro. Entretanto, justamente pelo risco maior ela poderá trazer uma maior rentabilidade, principalmente se o investimento for feito com critério, bem pensado e com diversificação.

3. Conheça os investimentos disponíveis no mercado
No mercado existe vários tipos de investimento para quem deseja aplicar seu dinheiro. Os principais são investimentos em renda fixa, fundos em ações e investimentos imobiliários.Porém, antes de fazer qualquer tipo de investimento é importante conversar com um especialista, para avaliar se os recursos disponíveis são adequados para o tipo de aplicação financeira que você deseja investir. E ainda, é preciso ficar atento, pois todo tipo de investimento tem um risco que pode variar de acordo com as oscilações do mercado.
4. Entenda os diferentes tipos de investimento
É importante entender os diferentes tipos de investimentos de acordo com o risco que seu dinheiro irá correr: conservadores, moderados e arriscados. Quanto mais arriscado o investimento, maior é o retorno potencial que ele poderá dar, porém com maior risco envolvido.Veja que tipo de investimento se encaixa em cada uma das categorias:

– Investimentos Conservadores¹: renda fixa, poupança, CDB de bancos, fundos indexados ao CDI;
¹Esses investimentos são recomendados para aqueles que têm pouca tolerância a riscos.- Investimentos

Moderados²: fundos que tentam superar a rentabilidade do CDI, fundos imobiliários;
²É recomendado para aqueles que preferem correr um nível razoável de risco nas expectativas de melhores retornos.

Investimentos Arrojados³: ações, fundos que buscam superar o Ibovespa, debêntures, moeda estrangeira, dentre outros.
³É ideal para os Participantes que aceitam grandes possibilidades de risco, inclusive eventuais perdas de capital, bem como os que conhecem um pouco do mercado financeiro e de suas peculiaridades.

5. Diversifique seus investimentos
Na hora de investir, busque opções diversificadas entre si. Assim, você terá um (ou vários) plano B caso um deles não esteja indo muito bem. Apostar em um só investimento, como a bolsa de valores, por exemplo, que depende dos desempenhos das ações, é bem mais arriscado.

1. Defina seus objetivos

Escreva todas as coisas que você deseja conquistar na sua vida. Primeiro pense no horizonte de um ano, depois de cinco anos e vá aumentando até chegar à sua aposentadoria. Depois de fazer esta lista você terá claro quais são seus objetivos.

2. O que são investimentos em renda fixa e renda variável?

Uma dúvida comum dos investidores iniciantes é diferença entre a renda fixa e a renda variável. Os investimentos costumam ser divididos nesses dois grandes grupos. Os de renda fixa são aqueles cuja remuneração ou sua forma de cálculo podem ser previamente definidas na hora da aplicação. Entre eles estão a caderneta de poupança, os fundos DI e os CDBs.

Por não estarem tão sujeitas às oscilações do mercado e o investidor saber sua rentabilidade, essas opções são menos arriscadas. No entanto, isso não anula completamente a possibilidade de perdas. Os prejuízos podem aparecer se o emissor do título não cumprir com sua obrigação ou se, ao final da aplicação, ela se mostrar menos rentável do que outros investimentos de caráter semelhante.Já nas aplicações de renda variável, o investidor não tem como saber qual será a rentabilidade que poderá obter. Encaixam-se nessa categoria os investimentos em ações. Os preços dos ativos sofrem variações a todo momento, sendo redefinidos por eventos que afetam as empresas emissoras, a economia e o mercado financeiro. Entretanto, justamente pelo risco maior ela poderá trazer uma maior rentabilidade, principalmente se o investimento for feito com critério, bem pensado e com diversificação.

3. Conheça os investimentos disponíveis no mercado

No mercado existe vários tipos de investimento para quem deseja aplicar seu dinheiro. Os principais são investimentos em renda fixa, fundos em ações e investimentos imobiliários.Porém, antes de fazer qualquer tipo de investimento é importante conversar com um especialista, para avaliar se os recursos disponíveis são adequados para o tipo de aplicação financeira que você deseja investir. E ainda, é preciso ficar atento, pois todo tipo de investimento tem um risco que pode variar de acordo com as oscilações do mercado.

4. Entenda os diferentes tipos de investimento
É importante entender os diferentes tipos de investimentos de acordo com o risco que seu dinheiro irá correr: conservadores, moderados e arriscados. Quanto mais arriscado o investimento, maior é o retorno potencial que ele poderá dar, porém com maior risco envolvido.Veja que tipo de investimento se encaixa em cada uma das categorias:

– Investimentos Conservadores¹: renda fixa, poupança, CDB de bancos, fundos indexados ao CDI;
¹Esses investimentos são recomendados para aqueles que têm pouca tolerância a riscos.- Investimentos

Moderados²: fundos que tentam superar a rentabilidade do CDI, fundos imobiliários;
²É recomendado para aqueles que preferem correr um nível razoável de risco nas expectativas de melhores retornos.

Investimentos Arrojados³: ações, fundos que buscam superar o Ibovespa, debêntures, moeda estrangeira, dentre outros.
³É ideal para os Participantes que aceitam grandes possibilidades de risco, inclusive eventuais perdas de capital, bem como os que conhecem um pouco do mercado financeiro e de suas peculiaridades.

5. Diversifique seus investimentos

Na hora de investir, busque opções diversificadas entre si. Assim, você terá um (ou vários) plano B caso um deles não esteja indo muito bem. Apostar em um só investimento, como a bolsa de valores, por exemplo, que depende dos desempenhos das ações, é bem mais arriscado.