Uso do álcool em gel exige cuidados redobrados com a pele

Desde que a pandemia do novo coronavírus chegou ao Brasil, um dos itens indispensáveis na hora de sair de casa é o álcool em gel. Se preparado corretamente a 70%, o produto é eficaz contra vírus e bactérias, mantendo as mãos higienizadas quando não se temacesso à água e sabão. O grande problema está nos efeitos que o álcool, um poderoso solvente, pode causar na pele se for utilizado com muita frequência.

Como o álcool tem a capacidade de remover até mesmo os lipídios naturais que servem para hidratar e proteger a pele, o produto pode provocar ressecamento profundo, além de rachaduras e vermelhidão. Em alguns casos, é possível até que provoque dermatites graves. Até mesmo lavar as mãos com água e sabão podem provocar algumas reações alérgicas, provocando esses mesmos problemas.

Para compensar isso, os dermatologistas recomendam que a pele seja hidratada diariamente. Vale a pena investir em hidratantes próprios para as mãos, principalmente os que tenham outras funções, como calmantes, restauradoras e fortalecedoras. Além disso, é bom escolher aqueles produtos de marcas que você conhece, confia e já utiliza.